Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

“A inteligência emocional é crucial em ambientes de trabalho”

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

André Villaverde, professor, palestrante e oficial do 2º Registro de Imóveis do Recife (PE), fala sobre a sua participação no 1º Workshop de Gestão em Cartórios do Maranhão e aborda a importância do desenvolvimento da inteligência emocional

Dr. André Villaverde. Foto: Arquivo pessoal.

Em um cenário jurídico marcado por procedimentos complexos e relações sensíveis, a importância da inteligência emocional para os profissionais de cartórios tem se destacado como um fator determinante para o sucesso e eficiência na prestação de serviços. Esses profissionais frequentemente lidam com situações delicadas que envolvem momentos cruciais na vida das pessoas, como falecimentos, transferências de propriedade, inventários e divórcios. Nesse contexto, o gerenciamento eficaz das emoções torna-se essencial para manter a empatia e o profissionalismo necessários tanto com o público externo a serventia, como com o interno.

Em sua recente participação como palestrante no 1º Workshop de Gestão de Cartórios do Maranhão, evento promovido pelas entidades representativas do setor extrajudicial maranhense, entre elas a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Maranhão – ARPENMA, na última sexta-feira (1º/12), o professor André Villaverde compartilhou insights valiosos sobre a aplicação prática dessa habilidade em sua palestra “Inteligência emocional para profissionais dos cartórios”.

Foto: Júnior Foicinha.

Villaverde é oficial do 2º Registro de Imóveis do Recife, ex tabelião nos estados do Maranhão e do Rio de Janeiro, mestre em Direito pelo UNIVEM de Marília-SP, doutor em Direito Constitucional pela UNIFOR-CE, professor e autor de diversos livros. Confira a íntegra da entrevista abaixo:

ARPENMA – Como avalia a relevância e a importância de eventos como o “1º Workshop em Gestão de Cartórios do Maranhão” para a comunidade de profissionais de serviços cartorários?

André Villaverde – Primeiramente, gostaria de agradecer a todas as pessoas que compareceram no 1º Workshop em Gestão de Cartórios do Maranhão. Eventos como esse proporcionam uma oportunidade única para os profissionais que atuam nos Cartórios para atualizarem seus conhecimentos e habilidades. A gestão eficaz de Cartórios envolve questões jurídicas complexas e administrativas e o workshop ofereceu um ambiente propício para a troca de experiências e de melhores práticas. Além disso, o evento reuniu especialistas e profissionais que conhecem a prática dos Cartórios, saindo do âmbito unicamente teórico, permitindo que os participantes tivessem acesso a “insights” valiosos e conhecimentos atualizados sobre as mudanças regulatórias e as tendências no campo dos serviços cartorários, notadamente em relação à prática e a gestão. Por fim, o networking é uma parte fundamental desse tipo de workshop. A oportunidade de estabelecer contatos com outros profissionais do setor pode levar a colaborações futuras e fortalecer a comunidade de serviços Cartorários como um todo. Em resumo, o 1º Workshop em Gestão de Cartórios do Maranhão desempenhou um papel vital no aprimoramento profissional e no fortalecimento da comunidade de serviços cartorários, contribuindo para a excelência e eficiência desses serviços no Estado do Maranhão.

 

ARPENMA – Como surgiu a ideia de abordar o tema inteligência emocional para profissionais dos cartórios em sua palestra?

André Villaverde – A ideia de abordar o tema da inteligência emocional para profissionais dos Cartórios em minha palestra surgiu da crescente compreensão de que a eficiência e a qualidade dos serviços não dependem apenas do conhecimento técnico, mas das habilidades emocionais dos profissionais envolvidos. A inteligência emocional é crucial em ambientes de trabalho que lidam com situações sensíveis e emocionais, como é o caso dos Cartórios. Profissionais que possuem habilidades emocionais bem desenvolvidas são mais capazes de lidar com conflitos, estresse e situações desafiadoras de maneira eficaz. Além disso, são mais aptos a estabelecer relacionamentos interpessoais sólidos, o que é fundamental para um atendimento de qualidade aos clientes e usuários dos serviços do Cartórios. A palestra teve como objetivo destacar a importância da inteligência emocional na gestão de Cartórios, fornecendo insights e ferramentas práticas para o desenvolvimento dessas habilidades. Isso não apenas beneficia os profissionais em seu desempenho diário, mas também contribui para a melhoria dos serviços oferecidos à comunidade. Portanto, a decisão de abordar a inteligência emocional na palestra foi motivada pela necessidade de capacitar os profissionais dos Cartórios para enfrentar os desafios emocionais inerentes à profissão e melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços prestados.

 

ARPENMA –  Quais são os desafios emocionais mais comuns que os profissionais enfrentam?

André Villaverde – Os profissionais que trabalham em cartórios enfrentam diversos desafios emocionais devido à natureza sensível e muitas vezes conflituosa do seu trabalho. Alguns dos desafios emocionais mais comuns que eles enfrentam incluem:

Lidar com situações de luto e emoções intensas:

Profissionais dos Cartórios frequentemente lidam com registros de óbitos e testamentos, o que envolve lidar com pessoas enlutadas e emoções intensas, precisam mostrar empatia e compreensão nesses momentos.

Conflitos familiares:

Questões de herança, divórcio e partilha de bens podem levar a conflitos familiares acalorados. Cartorários muitas vezes são mediadores dessas situações e precisam gerenciar conflitos de forma eficaz.

Pressão para cumprir prazos e regulamentos:

O ambiente de trabalho em um Cartório pode demandar lidar com pressão para cumprir prazos e regulamentos rigorosos. Isso pode causar estresse e ansiedade.

Lida com situações jurídicas complexas:

Profissionais de cartório lidam com documentos legais complexos e devem entender a legislação aplicável. Isso pode ser desafiador emocionalmente, especialmente quando lidam com casos difíceis.

Responsabilidade e ética:

Profissionais de Cartório têm a responsabilidade de manter a integridade dos registros e agir com ética. Isso pode gerar dilemas éticos que afetam emocionalmente.

Relacionamento com o público:

O atendimento ao público é uma parte essencial do trabalho em cartórios, e lidar com uma variedade de clientes com diferentes necessidades e expectativas pode ser emocionalmente desafiador.

Portanto, os profissionais de Cartório precisam desenvolver habilidades de inteligência emocional para lidar eficazmente com esses desafios emocionais e oferecer um serviço de qualidade aos clientes.

 

ARPENMA – Quais são os benefícios práticos que esses profissionais podem obter ao desenvolver sua inteligência emocional? E como eles podem aprimorar essa habilidade?

André Villaverde – Os profissionais podem obter diversos benefícios práticos ao desenvolver sua inteligência emocional. Alguns dos benefícios incluem:

Melhor relacionamento com clientes e colegas:

A inteligência emocional permite que os profissionais se comuniquem de forma mais eficaz, ouçam as necessidades dos clientes e colegas, e resolvam conflitos de maneira construtiva.

Redução do estresse e ansiedade:

O desenvolvimento da inteligência emocional ajuda a lidar com situações estressantes de forma mais tranquila, reduzindo a ansiedade no ambiente de trabalho.

Tomada de decisões mais conscientes:

Profissionais emocionalmente inteligentes são capazes de considerar suas próprias emoções e as dos outros ao tomar decisões, o que leva a escolhas mais ponderadas e acertadas.

Melhoria na resolução de problemas:

A capacidade de gerenciar emoções ajuda na resolução eficaz de problemas, especialmente em situações delicadas e complexas.

Aumento da empatia:

Profissionais com alta inteligência emocional são mais empáticos, compreendendo melhor as necessidades e sentimentos dos clientes, o que melhora a qualidade do atendimento.

Para aprimorar a inteligência emocional, os profissionais dos cartórios podem adotar as seguintes práticas:

Autoconhecimento:

Começar por entender suas próprias emoções e como elas afetam seu comportamento é fundamental.

Autocontrole:

Aprender a controlar reações impulsivas e emoções negativas é essencial para lidar com situações desafiadoras.

Empatia:

Praticar a empatia, ou seja, colocar-se no lugar do cliente ou colega, ajuda a compreender melhor suas necessidades e perspectivas.

Habilidades de comunicação:

Desenvolver habilidades de comunicação eficaz, como ouvir atentamente e expressar-se de forma clara, é crucial.

Gerenciamento de conflitos:

Aprender a lidar com conflitos de maneira construtiva, buscando soluções mutuamente benéficas, é uma habilidade valiosa.

Treinamento e desenvolvimento:

Participar de treinamentos e workshops sobre inteligência emocional pode ser uma maneira eficaz de aprimorar essa habilidade.

Portanto, ao desenvolver a inteligência emocional, os profissionais dos cartórios podem melhorar seu desempenho no trabalho, proporcionar um melhor atendimento aos clientes e criar um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo.

 

ARPENMA – Qual a principal mensagem que você buscou transmitir aos participantes durante a palestra?

André Villaverde – Na palestra sobre inteligência emocional para profissionais de Cartórios, a principal mensagem que busquei transmitir foi de que “sempre é possível evoluir”. A inteligência emocional e a gestão do pensamento não são características fixas, mas habilidades que podem ser desenvolvidas e aprimoradas ao longo do tempo. Enfatizei que, no ambiente desafiador dos cartórios, a inteligência emocional e a gestão do pensamento desempenham um papel fundamental. Os profissionais podem aprender a reconhecer e gerenciar suas emoções, entender as emoções dos outros e aplicar esse conhecimento para melhorar o relacionamento com clientes e colegas. A mensagem-chave foi a importância de investir no desenvolvimento da inteligência emocional como um caminho para lidar com situações estressantes, tomar decisões mais conscientes, resolver problemas de maneira eficaz e criar um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo. Em resumo, a principal mensagem da palestra foi que, independentemente do ponto de partida, todos têm o potencial de evoluir emocionalmente e melhorar suas habilidades de inteligência emocional, o que pode trazer benefícios significativos tanto no âmbito profissional quanto pessoal.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação ARPENMA.

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Logo-Arpen-BR-MA