Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

TJMA conquista Prata no Prêmio CNJ de Qualidade 2022

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Tribunal ficou em segundo lugar nos itens Governança e Transparência entre todos os tribunais estaduais

O Tribunal de Justiça do Maranhão conquistou o Prêmio Prata do Prêmio CNJ de Qualidade 2022, em reconhecimento feito pelo Conselho Nacional de Justiça, durante o 16º Encontro Nacional do Poder Judiciário, realizado nestas segunda (21) e terça (22), na sede do Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília. Foram analisados quatro eixos para a avaliação: Governança; Produtividade; Transparência; Dados e Tecnologia.

 

No Painel de Resultados do Prêmio, o TJMA ficou entre os oito tribunais estaduais contemplados com o Prêmio Prata, com 60,55%. O Tribunal ficou em segundo lugar – entre todos os 27 tribunais estaduais – nos eixos de Governança, com 421,06 pontos, e Transparência, com 110, empatado neste último critério com outros cinco tribunais.

 

“Importante agora é reconhecer que o nosso Tribunal permanece entre os tribunais premiados do país e que isso só está sendo possível graças ao esforço e compromisso de todos os seus membros, entre magistrados, servidores e colaboradores”, agradeceu o presidente do TJMA, desembargador Paulo Velten, que participou presencialmente do evento, acompanhado dos juízes auxiliares da Presidência, Márcio Brandão e Nilo Ribeiro.

 

Prestigiaram o evento o desembargador Froz Sobrinho (corregedor-geral da Justiça), a desembargadora Angela Salazar (também presidente do TRE-MA), as juízas Rosângela Prazeres (TJMA e TRE-MA) e Tereza Nina (auxiliar da CGJ) e Hebert Leite (diretor-geral do TRE-MA).

 

No evento com participação de presidentes e corregedores(as) dos tribunais superiores, dos 27 Tribunais de Justiça (TJs), dos cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs), dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e dos três Tribunais de Justiça Militar (TJMs) dos estados, o presidente Paulo Velten agradeceu a todos e todas e parabenizou, de forma especial, o juiz auxiliar da Presidência do TJMA Márcio Brandão e a equipe da Assessoria de Gestão Estratégica e Modernização do Tribunal de Justiça (AGEM/TJMA).

 

“A certificação deve ser muito celebrada. Somos um estado grande e pobre e não é fácil obter esse reconhecimento porque, cada vez mais, os tribunais têm se empenhado no aprimoramento dos seus serviços. Muito ainda há a se fazer, mas o que se obteve foi fruto do trabalho árduo de todos os magistrados e servidores que vestem com muita paixão a camisa do Poder Judiciário do Maranhão”, acrescentou Márcio Brandão.

 

De acordo com a organização da premiação, utiliza-se uma metodologia de avaliação dos tribunais sob o olhar do acompanhamento das políticas judiciárias, eficiência, gestão e organização de dados. Em cada segmento de justiça, os tribunais são classificados em três categorias: “Diamante”, “Ouro” e “Prata”. O tribunal que mais se destaca entre todos os 90 e que atinge maior pontuação é congratulado com o “Prêmio Excelência”.

 

No eixo Governança, o TJMA (421,06) ficou atrás apenas do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), com 431 pontos, e bem próximo do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), com 421,12. Já no eixo Transparência, o tribunal maranhense ficou abaixo somente do TJGO e do TJRR, ambos com 120 pontos. O TJMA obteve a mesma pontuação de TJAC, TJAP, TJDFT, TJMT e TJPI. Foi ainda o 18º em Dados e Tecnologia e 22º em Produtividade.

 

ENCONTRO NACIONAL

O 16º Encontro Nacional do Poder Judiciário teve como objetivo monitorar a estratégia nacional do Poder Judiciário 2021-2026, apresentando principais resultados do ano corrente, bem como ações, projetos ou políticas judiciárias. Na ocasião, ocorreu a votação das Metas Nacionais do Poder Judiciário por segmento de Justiça para 2023 e a entrega do Prêmio CNJ de Qualidade – ano 2022.

 

A solenidade foi aberta na segunda-feira, com pronunciamentos da ministra Rosa Weber, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e do ministro Luís Felipe Salomão, corregedor nacional de Justiça.

 

O evento contou com a conferência magna “Desafios e Perspectivas do Poder Judiciário em 2023″, com o professor Oscar Vilhena Vieira (FGV Direito-SP); o Panorama dos Tribunais Superiores – resultados alcançados em 2022, com a ministra Maria Thereza de Assis Moura, Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ); e também dos ministros Lélio Bentes Corrêa, presidente do Tribunal Superior do Trabalho; Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, e Lúcio Mário de Barros Góes, presidente do Superior Tribunal Militar.

 

Também houve reuniões setoriais dos segmentos de Justiça e da Corregedoria Nacional de Justiça, o painel “A Essencialidade do Juiz e o Cumprimento de Metas no Poder Judiciário, com os conselheiros Luiz Philippe Vieira de Mello Filho e Richard Pae Kim e a conselheira Salise Monteiro Sanchotene; e a Plenária de Anúncio das Metas Nacionais 2023, novamente com a ministra Rosa Weber e o ministro Luís Felipe Salomão.

 

DESDE 2019

O Prêmio CNJ de Qualidade foi criado em 2019, em substituição ao antigo Selo Justiça em Números, implementado desde 2013. Ao longo dos anos, vários critérios foram sendo aperfeiçoados e incluídos no regulamento da premiação, que é dividida em quatro eixos principais: governança; produtividade; transparência; dados e tecnologia.

Veja álbum de fotos do evento, produzido pelo CNJ.

 

Fonte: TJMA

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Logo-Arpen-BR-MA