Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

G1 MA – Unidades Interligadas de Registro Civil são instaladas em quatro cidades do Maranhão

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

 

As unidades foram instaladas nos municípios de Pinheiro, Bequimão, Joselândia e Pedro do Rosário, para fortalecer a política pública de combate ao sub-registro no Maranhão.

 

Nessa quinta-feira (12), a Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ-MA) e parceiros institucionais instalaram quatro Unidades Interligadas de Registro Civil (UIRC) em quatro cidades do Maranhão. As UIRC foram instaladas nos municípios de Pinheiro, Bequimão, Joselândia e Pedro do Rosário. Segundo a CGJ-MA, a instalação dessas unidades visa fortalecer a política pública de combate ao sub-registro no Maranhão.

 

Com as UIRC, o assento de registro civil de pessoas naturais e o fornecimento das certidões de nascimento aos pais dos recém-nascidos passam a ser feitos nas maternidades locais, onde acontecem os partos.

Com a instalação as quatro unidades, em parceria com os executivos municipais e os cartórios de registro civil de pessoas naturais, a Corregedoria amplia para 48 o total de UIRC entregues à população maranhense.

 

A solenidade de instalação das unidades interligadas foi realizada nessa quinta, com a participação de magistrados, prefeitos municipais, delegatários dos cartórios e representantes dos conselhos da criança e do adolescente, conselhos tutelares, Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), além de coordenadores de programas de saúde na família.

 

Durante o ato de instalação, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Velten, disse que a política de combate ao sub-registro representa uma “cruzada cívica” para assegurar a Certidão de Nascimento para todo cidadão e toda cidadã maranhense, para que possam exercer a sua cidadania e acessar as políticas públicas.

 

“Nós não podemos descansar. Essa é uma luta sem trégua enquanto existir um maranhense em nosso Estado sem Certidão de Nascimento”, declarou o corregedor.

Também presente na solenidade, o diretor do Departamento de Educação em Direitos Humanos do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Jailton Nascimento, afirmou que a ausência do registro civil é uma “porta aberta” para muitos males que assolam as crianças do Brasil “como tráfico de crianças, tráfico de órgãos e adoções ilegais que são desafios que nós tentamos fortemente enfrentar”, afirmou, ressaltando que o Maranhão tem sido exemplo de enfrentamento ao sub-registro.

 

Lei de combate ao sub-registro

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 04/2021, de autoria do Poder Judiciário, propondo medidas para a promoção da erradicação do sub-registro civil de nascimento no Maranhão, foi aprovado, em junho, pela Assembleia Legislativa do Maranhão, em sessão ordinária presidida pelo deputado Othelino Neto. A Lei Complementar nº 233/2021, foi sancionada pelo governador Flávio Dino em de 2 de julho de 2021.

 

Sub-registro no Maranhão

Segundo os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019 o Maranhão ainda liderava a marca de ser, entre os estados do Nordeste, o com maior número de bebês sem registro, com taxa de sub-registro civil de nascimento de 4,7%.

 

Diante da alta taxa de sub-registro, a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) realiza, durante todo o mês de agosto, a Campanha Estadual de Mobilização pela Certidão de Nascimento, para sensibilizar a população sobre a importância e a necessidade fazer o registro civil de nascimento e obter a certidão de nascimento.

Segundo a Sedihpop, o foco principal da campanha são as crianças e os adolescentes, contudo ela também chama a atenção para que adultos e idosos também possam ser registrados e assim, ninguém fique sem documentação básica em todo do Maranhão.

 

A certidão de nascimento é o primeiro documento de toda criança para que possa ser reconhecida como cidadã e exercer seus direitos. A ideia da campanha sensibilizar e mobilizar a população levando informações por meio de material educativo, que será compartilhado virtualmente por todo o estado, como forma de reforçar a importância do registro civil de nascimento e os requisitos a serem cumpridos para obtenção do documento junto aos cartórios de registro civil de pessoas naturais (RCPN).

 

“Essa ação é fundamental para que possamos desenvolver políticas públicas voltadas à primeira infância para efetivação de seus direitos. A certidão de nascimento é um direito básico que deve ser garantido ainda nos primeiros 15 dias de vida do recém-nascido. Estamos chamando todos os maranhenses para aderir a esta mobilização em todo o estado, incluindo regiões que contemplam as comunidades quilombolas, ribeirinhas e terras Indígenas”, afirmou Chico Gonçalves, secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular.

 

A campanha envolve técnicos da rede socioassistencial, executora da Política de Assistência Social, gestores públicos dos poderes Executivo, Judiciário e da sociedade civil, na luta pela erradicação do sub-registro civil de nascimento.

 

A Campanha Estadual de Mobilização pela Certidão de Nascimento foi lançada no último dia 2 de agosto, durante a solenidade de abertura do Mês da Primeira Infância, promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), que está sendo realizada ao longo do mês de agosto.

 

Fonte: G1 MA

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin