Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

CGJ-MA orienta cartórios sobre diretrizes estratégicas e LGPD

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Responsáveis por cartórios participaram no sábado, 24, de reunião de orientação realizada pela Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão (CGJ-MA), no auditório no auditório do Fórum do Calhau, em São Luís, com transmissão pela plataforma youtube.

A reunião tratou de temas que envolvem a atuação do serviço extrajudicial: cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) pelos cartórios; prêmios pela eficiência e qualidade (Provimento nº 42/2022); metas e diretrizes do Conselho Nacional de Justiça, cumprimento do Provimento-CNJ nº 124/2021; carteira funcional e planejamento estratégico – eixos sociedade e governança.

 

A 2º Reunião com os delegatários e delegatárias das Serventias Extrajudiciais do Maranhão foi realizada pela juíza Ticiany Maciel Palácio, auxiliar da CGJ-MA, com a participação da advogada Edmée Capovilla Froz; da coordenadora do setor de serventias extrajudiciais, Eliana Almeida Ferreira e da analista judiciária Priscilla Moraes Rêgo de Souza.

 

A juíza informou que o objetivo é aproximar o órgão corregedor dos responsáveis pelo serviço extrajudicial e acompanhar o andamento dos trabalhos e desafios do planejamento estratégico para o setor. Também ressaltou a importância do andamento do processo de digitação do acervo dos cartórios – conforme o Provimento -CNJ nº 124/2021, com a finalidade de prestar um serviço mais moderno e eficiente, e para que a Corregedoria tenha dados disponíveis para a tomada de decisões e planejamento futuro da gestão dos serviços extrajudiciais.

 

“Queremos nos aproximar cada vez mais dos delegatários, compreender as realidades deles, apoiá-los, orientá-los, para alcançar as metas que o CNJ nos lança. Esta é a nossa segunda reunião. Fizemos uma pesquisa com as 292 serventias do Maranhão para saber como está o andamento da digitalização das informações do acervo, em todas as atribuições que existem. Alguns já estão com 100% do acervo digitalizado”, declarou a juíza.

 

METAS E DIRETRIZES ESTRATÉGICAS
A juíza falou das metas de desempenho estabelecidas pelo Judiciário Nacional para a Justiça estadual para a Corregedoria: baixar quantidade maior de procedimentos disciplinares que os distribuídos no ano corrente (Meta 1); decidir 100% dos procedimentos disciplinares em curso, distribuídos até 31/08/2022 (Meta 2); decidir 80% dos procedimentos disciplinares no prazo de 140 dias a partir da distribuição (Meta 3); apresentar , no prazo de 90 dias, via formulário eletrônico, disponibilizado pela Corregedoria Nacional a vacância das serventias extrajudiciais (Meta 5).

 

A Juíza também expôs as diretrizes estratégicas de 2022: assegurar a implementação do Sistema Eletrônico de Registros Públicos – SERP em todas as unidades do território nacional (Lei nº 14.382/2022), pelos registradores públicos (Diretriz 1); desenvolver protocolos entre tribunais e cartórios, para otimizar as medidas de desjudicialização e desburocratização relativas à conciliação (Diretriz 2); regulamentar e adequar os serviços notariais e de registros à Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD (Diretriz 3) e incrementar as unidades interligadas, e realizar ações de erradicação do sub-registro civil onde há maior ocorrência e dar tramitação prioriátia aos processos relativos a registro tardio (Diretriz 5).

 

SELO DE EFICIÊNCIA E QUALIDADE
Priscilla de Souza destacou que o objetivo da concessão do selo é o aprimoramento da prestação dos serviços extrajudiciais e informou sobre os requisitos que serão considerados para a concessão do “Selo de Eficiência e Qualidade” ouro e prata, nas categorias “arrecadação” e “atribuição” e “especial”, implantado pela CGJ-MA por meio do Provimento nº 42/2022. A CGJ-MA pretender realizar a cerimônia de premiação ao final do primeiro ano da gestão do desembargador Froz Sobrinho.

 

“Um dos objetivos é aprimorar o serviço extrajudicial, nos eixos governança, eficiência, dados e tecnologia”, disse a analista judiciária, solicitando aos cartorários a atualização dos dados nos sistemas Auditus e Siaefrj, necessários para a verificação de informações necessárias para a concessão do selo.

 

A coordenadora das serventias dez uma demonstração sobre a Carteira Funcional virtual, criada pela Corregedoria para identificar os delegatários titulares e interinos dos cartórios, com base nas informações do sistema Auditus.

 

ADAPTAÇÃO DSO CARTÓRIOS À LGPD
A reunião foi finalizada com palestra da advogada Edmée Capovilla Froz sobre a adaptação dos cartórios à LGPD – (Nº 13.709/2018), que dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade.

 

“Essa LGPD denomina os cartórios como controladores, porque decidem o que vão fazer com o dado pessoal que está chegando ao cartório. Se vai ficar armazenado, por quanto tempo, quais são os sistemas que vão compartilhar essa informação, o que vai precisar emitir de documento quando a pessoa pede uma certidão”, explicou a advogada.

 

Segundo a palestrante, o Conselho Nacional de Justiça (Provimento n.134/2022) estabeleceu o prazo de seis meses para se adaptarem à lei, com a fiscalização prevista para o mês de março de 2022, e outras normas de segurança de informação, no sentido de garantir a conformidade dos serviços extrajudiciais à legislação.

 

Fonte: TJMA

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Logo-Arpen-BR-MA